terça-feira, 30 de novembro de 2010

PERFIL DO ARTISTA: MURILO PAGANI


 Artista visual, designer, aderecista, cenógrafo, encadernador. Esse é Murilo Pagani, grande parceiro da Rota do Papel, que busca em todas as manifestações artísticas uma forma de expressão.

Inquieto e sempre com um interesse artístico em tudo que realizava, Pagani diz que nada foi planejado, as coisas foram acontecendo. O curso de Belas Artes na UFMG, professor de desenho, o primeiro convite para assinar o figurino de um curta, depois para o teatro, o primeiro trabalho como cenógrafo para a peça “Vestido de Noiva”, de Nelson Rodrigues, e assim não parou mais.

A paixão pela encadernação, área de atuação de Murilo na Rota do Papel, veio durante um curso sobre a técnica, indicação de uma amiga que na época disse que tinha tudo a ver com o trabalho desenvolvido por ele. “Fiz o curso de uma semana e fiquei encantado. Mergulhei em pesquisas sobre encadernação, papel, escrita e não parei mais. Algum tempo depois montei um curso de encadernação e já tenho quatorze anos de atuação na área”, enfatiza.

Parceria de Sucesso
E dessa paixão pela encadernação surgiu a parceira com a Rota do Papel, em 2008. “O sucesso foi imediato e passamos a atender pedidos com personalização e exclusividade, sempre nos adequando ao desejo e ao sonho dos clientes”, lembra o artista.

Os cursos oferecidos pela Rota e ministrados por Murilo na área de encadernação são:
  • A encadernação à Bradel, técnica de origem alemã desenvolvida pelo francês Alexis-Pierre Bradel durante o século XVIII, comumente conhecida como encadernação clássica francesa.
  • A encadernação com costura aparente, baseada nos modelos coptas e medievais de elaboração dos codex.
  • A encadernação ao estilo oriental, conhecida como encadernação japonesa que na verdade é chinesa e consiste da montagem a partir de folhas soltas.
  • As três possibilidades são aplicadas tanto para cadernos como para álbuns.

Na área de cartonagem os cursos oferecidos são diversos modelos de luvas, estojos, caixas e pastas. 

O artista esclarece e enfatiza que a arte de encadernação é diferente da técnica de encapar. “Encadernar é proteger, preservar, cuidar, guardar. A história da humanidade está encadernada. Através da proteção, da preservação, do cuidado e da guarda temos acesso ao conhecimento. Guardar para poder mostrar.”, finaliza o artista.













Um comentário:

Salete disse...

Goste muito desta loja quando estive em Belo Horizonte fiz um curso e encadernação que amei